Documentário: Horta das Corujas

Posted in Uncategorized on dezembro 13, 2014 by rose rose

Horta das Corujas

07/12/14, por Mariana Oliveira

Documentário produzido pelos alunos do 6º semestre do curso de Jornalismo, da Universidade Anhembi Morumbi, sobre a primeira horta em praça pública da cidade de São Paulo e seu impacto na região.

“Olá pessoal!
Sou estudante do curso de Jornalismo da Universidade Anhembi Morumbi. O grupo de estudos do qual faço parte produziu neste semestre um documentário sobre a Horta das Corujas.
Abaixo está o link do vídeo que disponibilizamos no YouTube.
Em nome do grupo, gostaria de agradecer à todos os envolvidos, que contribuíram para tornar este projeto possível.
Nossa principal intenção é compartilhar este documentário com o máximo de pessoas, e mostrar que através da mobilização das comunidades, é possível ter uma nova visão sobre o espaço urbano, onde o cinza do concreto e o verde das plantas convivem em harmonia.
Esperamos que este conteúdo seja mais um aliado para fomentar mudanças positivas na…

Ver o post original 11 mais palavras

Noções morfológicas e taxonômicas para identificação botânica

Posted in Uncategorized on novembro 3, 2014 by rose rose

blog Tudo Sobre Plantas

 Autoria: MARTINS-DA-SILVA, R. C. V.; SILVA, A. S. L. da.; FERNANDES, M. M.; MARGALHO, L. F. Ano de publicação: 2014
Autoria: MARTINS-DA-SILVA, R. C. V.; SILVA, A. S. L. da.; FERNANDES, M. M.; MARGALHO, L. F.
Ano de publicação: 2014

Ver o post original

guerrilha de arvores frutiferas

Posted in Uncategorized on outubro 30, 2014 by rose rose

Conheça a guerrilha Grafters, um grupo de San franciscanos que acreditam árvores urbanas são uma coisa preciosa, e pode produzir mais do que apenas flores bonitas. Seu objetivo é enxerto – ainda que ilegalmente – dando frutos estoque para não-frutíferas árvores frutíferas rolamento, na esperança de que ao longo do tempo as cidades árvores ornamentais pode fornecer alimentos para os moradores de forma gratuita.

Cada árvore tem um ‘steward’ que cuida de sua árvore individual, garante que o fruto não se torne um incômodo, e é colhida e utilizada. Não é recomendável comer frutas cultivadas por uma estrada muito poluído ocupado, mas em todas as cidades há recantos onde plantas ornamentais podem ser enxertadas com variedades produtivas. Ótima idéia!

Neste vídeo, seguimos Guerrilla Grafters Tara Hui e Booka Alon como eles check-up em seus enxertos sub-reptícios, realizar um pouco de poda e procurar primeiro fruto de suas árvores. Oneday espero que essa prática se tornará commensense e legal.

Imagine um mundo onde cada cidade é cheio de árvores frutíferas plantadas para o bem comum e sobre a fluir com alimentos.

História original aqui: http://faircompanies.com/videos/view/guerrilla-grafters-adding-fruit-to-city-trees/
Google Tradutor para empresas:Google Toolkit de tradução para apps

A importância da matéria orgânica no solo

Posted in Uncategorized on outubro 30, 2014 by rose rose

Plantando Vida

Antes de iniciar o assunto, a respeito da influência da matéria orgânica no solo, gostaria de definir “solo” e “matéria orgânica”. Entende-se por solo, como a camada superficial da crosta terrestre, constituída por partículas minerais, matéria orgânica, água, ar e organismos vivos.  Por matéria orgânica entende-se, como os resíduos vegetais, animais e micro-organismos em constante processo de transformação. Note que a matéria orgânica faz parte do componente solo.

A matéria orgânica (M.O.) tem o poder de influenciar positivamente nas características físicas (densidade, porosidade), químicas  (liberação e fixação de nutrientes, regulação do pH, etc.) e biológica (fonte de alimento e substrato para o desenvolvimento de micro-organismos, etc.).   Embora a M.O. encontre-se em quantidade reduzida (~4%) nos solos minerais, ela tem papel fundamental na melhoria de sua fertilidade e no aumento da produtividade vegetal.

Vejamos alguns desses efeitos que matéria orgânica exerce nos solos:

  • A matéria orgânica diminui a fixação e a…

Ver o post original 711 mais palavras

Cartilha Adubos Verdes para agricultores orgânicos

Posted in Uncategorized on outubro 14, 2014 by rose rose

blog Tudo Sobre Plantas

Cartilha Adubos Verdes

Essa cartilha foi produzida pela FUNDAG (Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola), com informações sobre novas técnicas verdes de adubação, seus benefícios, características, formas de produção e outros fatores.

CLIQUE NA IMAGEM PARA ACESSAR !!

via: [ CI Orgânicos ]

Ver o post original

SiSTSP – Guapuruvu (Schizolobium parahyba)

Posted in Uncategorized on outubro 14, 2014 by rose rose

blog Tudo Sobre Plantas

NOME CIENTIFICO: Schizolobium parahyba
NOME(S) POPULAR(ES): Guapuruvu, Ficheira, Pataqueira, Baageiro, Bacumbú, Bacuparu, Bacuru, Bacurubu, Bacuruva, Espanador-do-céu, Fava-divina, Bageiro, Bandarra, Beri, Birosca, Bocurubu, Breu, Bucuruva, Faveira, Faveiro, Ficha, Ficheiro, Gabiruvu, Garapuava, Garapuvu, Guaburuvu, Guaperubu, Guaperuvu, Guapiruvu, Guapivuçu, Guaporuva, Guapububu, Guapurubu, Guapururru, Guarapuvu, Igarapobu, Paricá, Pau-vintém, Pau-de-canoa, Pau-de-tambor, Pau-de-vintém, Pinho, Pinho-branco, Pino, Pirosca
FAMILIA (Cronquist): Fabaceae
FAMILIA (APG): Fabaceae
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
O guapuruvu (Schizolobium parahyba) é uma árvore da família das fabáceas, notável pela sua velocidade de crescimento que pode atingir 3 metros por ano.

Foi inicialmente descrita por J. M. C. Vellozo em 1825 sob o nome de Cassia parahyba.

Guapuruvu é o simbolo da vale do Paraiba.[3]

A árvore atinge rapidamente boa altura, porém tem galhos frágeis que se quebram facilmente em ventanias. Em geral a árvore adulta morre após algumas dezenas de anos (40 a 50 anos).[2]

Quando em condições ambientais e de cultivo adequada, o guapuruvu é uma das…

Ver o post original 50 mais palavras

Festival das Abelhas Sem Ferrão na Horta das Corujas

Posted in Uncategorized on agosto 17, 2014 by rose rose

Horta das Corujas

A primavera vem aí e vamos preparar nossa querida horta para receber novas colmeias de abelhas nativas sem ferrão. Aos poucos queremos que a Horta das Corujas se torne um santuário para essas espécies muito importantes na polinização e ameaçadas de extinção.
O pessoal do SOS Resgate de Abelhas Sem Ferrão vai dar uma miniaula sobre o assunto e espalharemos pela horta iscas/refúgios para atrair as princesas que na primavera formarão novas colmeias. Lembrando que a horta já possui um meliponário de jataís.
As abelhas nativas sem ferrão não picam e não oferecem perigo algum para as pessoas.
Venha e, se puder, traga mudas de flores para plantar na horta. Por favor NÃO traga mudas de árvores. A subprefeitura e os voluntários pedem que não sejam plantadas árvores na Horta das Corujas.

O excesso de sombra poderá inviabilizar o cultivo de hortaliças e a praça, de acordo com os…

Ver o post original 47 mais palavras