Archive for the hortas e canteiros Category

jardinagem no bicicletário livre do centro cívico

Posted in ações, bicicletada, bicicletas, biodiversidade, convites, grupos, hortas e canteiros, jardinagem, poesia, teia on janeiro 13, 2011 by rose rose

1a. Férias de Verão do Bicicletário Livre do Centro Cívico

Participe do PicNic coletivo e da 1ª Bicicletada das Crianças, jogos e brincadeiras.
 Dias 15 e 16 de janeiro das 14h as 19h e se divirta à beça.

Endereço: BICICLETÁRIO LIVRE DO CENTRO CÍVICO- Rua Jacy Loureiro de Campos, 0.
Em frente ao Palácio das Araucárias.

 

 

 

Venha com seus filhos(as) e netos(as) passar a tarde no Bicicletário Livre do Centro Cívico para brincar e participar de oficinas, brinquedos, atrações culturais e sócio-ambientais promovidas pelo selo Re-Cicle e o Instituto Diamante Verde.

O selo RE-CICLE conecta as iniciativas que são identificadas por uma potência ou por um capital de mobilização social e ideológica através de ações interdisciplinares e independentes, no campo artístico e social, organizadas de maneira colaborativa veiculando propostas para o bem-estar da cidade e do indivíduo. Este selo foi criado em 2010 e está se desenvolvendo com as ações que congrega.

São dois dias, 15 e 16 de janeiro de 2010, de intensa e diversificada programação criada pela mobilização de artistas, produtores e pesquisadores para usar um espaço de bem comum, como o Bicicletário no Centro Cívico, com ações no intuito de gerar um ambiente público saudável e compartilhar conhecimentos e criatividades.

Batizado de bicicletário livre do centro cívico pelo coletivo Interlux, este espaço de convivência,está em desuso a mais de cinco anos, tem localização central, e fica às margens do rio Belém e da ciclovia, em frente do Palácio das Araucárias, atual sede do governo do Paraná.

Tem sido palco freqüente de diversas organizações populares e manifestações de cultura como a ocupação vivencial em setembro de 2010, o mês da Bicicleta em Curitiba; a ação performática “fuck andor” e, recentemente como ponto oficial da virada cultural entre 06 e 07 de novembro/2010 abrigando uma série de shows e atrações de livre circulação à céu aberto.

15/01 – Sábado:  

14 – 19h  Pintura Livre 

  Cama de Gato 

  Jardinagem Libertária

  Varal de Poesias

  Brincadeiras

15 – 16h  Contação de História “Escadinha de Jacó” 

15 – 17h  Construção de BARCO PIRATA – parte I  

16 -17h Imitando os Bichos

16 – 18h PicNic Coletivo

16 – 18h Musicada pra Criançada.

 

16/01  Domingo 

14 – 19h Pintura Livre 

   Cama de Gato

   Jardinagem Libertária

   Varal de Poesias

   Brincadeiras

14 – 15h Vivência com Bolhas de Sabão e Malabares

15 – 16h Buxixo Musical

15 – 17h Construção de BARCO PIRATA – parte II

15:30 – 16h30 1ª  Bicicletada das Crianças
16 – 18h
  PicNic Coletivo 

16 – 17h  Contação de História “Escadinha de Jacó”

 

 

férias verão bicicletário livre centro civico

bicicletário livre centro civico - férias verão

 

bicicletário livre do centro civico

bicicletário livre do centro civico

Traga: prato de quitutes ou bebida + sementes

Jardinagem Libertária por aí

Posted in hortas e canteiros on maio 27, 2008 by Thiago Carva

Como disse Walfrido Neto, a Jardinagem LIbertária surgiu “De muitas pessoas; e também das gralhas azuis, que plantavam araucárias muito antes de nós pensarmos nisso; e das abelhas que sempre polinizaram as flores. A Jardinagem Libertária sempre existiu, a única coisa que estamos fazendo é chamar mais gente para ajudar.”

Andando por aí, encontrei esses canteirinhos cultivados por duas senhoras. Há arbustos e plantas decorativas. Talvez elas não levem uma vida tão libertária, mas a atitude de marcar um espaço democrático, no espaço urbano (que pertence a poucos), é sempre muito significativa!

A finada horta coletiva do Portão

Posted in hortas e canteiros with tags on dezembro 30, 2007 by walfridoneto

No início de 2007 conseguimos permissão para fazer um trabalho de recuperação em um terreno inutilizado no bairro do Portão, em Curitiba. Passamos quase um mês tirando entulho e escavando o lixo que foi enterrado pelos antigos locatários, donos de uma loja de sapatos que achavam que enterrar entre as árvores frutíferas era o melhor a se fazer com os copinhos de plástico, latas de alumínio, grampeadores velhos, canetas e lixo de escritório em geral, sem falar de outras bizarrices que encontramos por lá, como seringas usadas e até uma caixa de som. Após muito esforço limpando a área, conseguimos começar a plantar.

plantandoi_2.jpg

A idéia era transformar aquele espaço em uma horta coletiva, onde todos os que participassem dividissem os frutos. Mas acabou sendo muito mais do que isso. Durante alguns meses o terreno se transformou em um laboratório onde aprendemos a plantar, fazer mudas, podas, estacas, lidar com os elementos como a água que as vezes vem em excesso e depois faz tanta falta, o sol, o vento, os pássaros, abelhas e, principalmente, as pessoas. De todas que passaram por lá e ajudaram tanto, como o Mago Jardineiro, o meu amigo Dino, que agora mora na Europa, minha família, amigos e amigos de amigos que ensinaram e aprenderam juntos.

canal.jpg
Fazendo canal de infiltração para segurar a umidade no solo

Depois de algum tempo de trabalho, já começamos e colher os resultados, não somente todos os alfaces, rabanetes, goiabas, rúculas, ameixas, ervilhas, feijões e incontáveis outros alimentos que a terra nos deu, mas também a campanhia dos pássaros que voltaram a frequentar o lugar e chegavam a tomar banho quando a chuva formava um laguinho na sombra da goiabeira e o próprio espaço que nos acolhia, dando sombra nos dias quentes e silêncio em meio ao barulho da cidade.
colheita_portao.jpg

No final do mês passado (novembro) o terreno voltou a ser alugado, e perdemos o acesso à horta. Foi triste ter que ir buscar as ferramentas, e mais triste de saber que toda a área vai ser concretada para se transformar em um estacionamento, mas esse não é o fim da horta comunitária, outras pessoas se juntaram a nós e não estamos mais tão preocupados em ter a autorização dos proprietários ou das autoridades para trazer a vida de volta aos espaços urbanos. E nós não estamos sós, muitas pessoas estão retomando o espaço, quebrando o concreto e dando espaço para a terra respirar.

Viva a Jardinagem Libertária!

Se você quer postar o seu depoimento aqui, ponha seu endereço de email nos comentários para receber um convite para colaborador do blog.

Hortinha Caseira e Crescimento de Mudas

Posted in hortas e canteiros on dezembro 25, 2007 by Thiago Carva

Rio de Janeiro.

O terraço aqui de casa, antes ocupado apenas pelas flores da minha madrinha, agora está ainda mais verde. Seguindo as orientações do amigo Walfrido, criador deste blog, e também arriscando, estou fazendo uma hortinha. Além disso, é lá que estou deixando crescerem algumas mudas para serem plantadas na rua.

Plantei Inhame, Tomate, Alface, Rabanete, Hortelã e queria poder plantar muito mais.

imagem-001.jpg Inhame

imagem-004.jpgAlface

 Para o projeto de Jardinagem Libertária, tenho 3 pés de árvores frutíferas. Um pé de caqui, um pé de lixia e uma muda nativa da mata atlântica daqui do Rio de Janeiro que conheci visitando o aterro sanitário (por incrível que pareça).

Deixo a foto dessa mudinha aqui e se alguém souber de que árvore se trata, deixe comentário, por favor!

imagem-005.jpg Da Mata Atlãntica

 Meu amigo Gabriel, que está encampando as idéias da Jardinagem Libertária também está com duas mudinhas de árvores nativas.

Que em 2008 nossas lutas se fortaleçam, nossas mudas floresçam e que nossas raízes encontrem bons solos!

Utilização Racional do Espaço

Posted in hortas e canteiros with tags , , , , on dezembro 12, 2007 by goura

Olá pessoal
estou mandando umas fotos pra provar que quando a gente quer a gente faz.. qualquer coisa.
Hoje de manhã, colhi um pé de alface, como venho fazendo com a salsa, o coentro, o almeirão , a rúcula, e em breve com a cenoura. Tudo na minha pequena propriedade rural de 35 centimetros, por 1,70 metros. A partir de meu lixo doméstico, com a ajuda de minhas amigas minhocas e de minha filha, ai está o que dá pra fazer.
Em breve teremos bertalha, pimenta de cheiro e cebolinha francesa , além de Machê (uma alface metida a besta). isso em irrisórios 66 centimetros quadrados (e umas 4 garrafas pet)…. imagina com um pouquinho mais.
Pensa nas impossibilidades da sua vida. nos argumentos “não dá”, nas coisas que parecem de malucos… e na mediocridade que nos vicia, na falta de iniciativa e da subordinação ao pensamento dominante que nos faz depender dos sistemas de forma passiva..
bem.. vou comer minha alface… ou melhor,… nossa.. servido?
Claudio
claudiofoliver@gmail.com

alface.jpg

mini-horta de apartamento

Posted in hortas e canteiros on dezembro 5, 2007 by walfridoneto

Algumas fotos da minha jardineira. Eu moro perto da Baixada do Atlético, em Curitiba, e em um espaço de mais ou menos 2m x 30cm, deu pra cultivar uma pequena variedade de plantas. Andei plantando algumas coisas na minha rua e no meu prédio também, mas ainda não fotografei.
Essa jardineira é como um laboratório e um berçário. Se eu tenho sementes, estacas ou mudas, vai tudo para lá, e o que fica grande demais para a jardineira, vai para qualquer outro lugar.

horta_ap_legenda.jpg

Além do que dá pra ver fácil, tem outras coisas que estão por baixo, ou imperceptíveis na foto, como uma muda de Guapuruvu, árvore nativa do Paraná (clique aqui para saber mais), brócolis, cebolinha, mangueira, hortelã, etc..
O tomateiro veio de um pedaço de tomate que estragou na minha geladeira e foi adubar a jardineira. Uns 2 meses depois começaram a aparecer vários pés (14 no total). Tirei quase todos e plantei em outros lugares. Deixei uns 3. Todos já têm flores e um tem um pequeno tomatinho.

tomate.jpg

As ervilhas sempre crescem mais rápido do que eu consigo arranjar estacas para elas se segurarem, mas precisaria de mais espaço pra ter uma quantidade que desse uma salada. A malva dá lindas flores lilás, é boa para curar inflamações da boca (aftas e gengivites) e garganta e tem outras propriedades medicinais (clique aqui para saber mais).

ervilhas.jpg

E ainda tem outras plantas e flores que atraem e alimentam pássaros e borboletas, que sempre fazem visitas à jardineira.